Como é estudar e morar em Durham?

Quem pensa em estudar no exterior certamente conhece a excelente reputação das universidades britânicas. São tantas universidades incríveis que fica difícil decidir qual é a mais adequada para o seu perfil e planos.


Quando chegou a minha vez de escolher a universidade na qual faria o mestrado, considerei diversos fatores. Um deles foi a cidade, já que viveria nesse lugar por, pelo menos, um ano. Depois de morar em Durham por mais de 9 meses, resolvi compartilhar com vocês como é viver nessa cidade e os motivos pelos quais sou muito grata pela escolha que fiz!


1. A cidade

Durham é uma cidade no nordeste da Inglaterra e possui uma população de, aproximadamente, 50 mil pessoas. Famosa por sua catedral que já serviu como cenário de filmes (Harry Potter e Avengers, por exemplo), Durham fica a 3 horas de Londres e a menos de 2 horas de Edimburgo (de trem). A cidade é muito tranquila, justamente por ser uma cidade do interior, e, ao mesmo tempo, temos acesso a tudo: bons restaurantes, grandes mercados, diversas lojas, muitas atrações culturais.


Centro da cidade. Foto: Germán Otálora Gallego


A Sumien, bolsista Chevening da África do Sul, compartilhou como é morar em Durham:


"Para mim, Durham não é somente um lugar para estudar, mas se tornou um lugar para chamar de lar. Não importa quanto tempo passe, a bela paisagem que nos circunda no dia a dia não cansa: a mudança da cor das árvores, a linda arquitetura, os footpaths em meio às florestas e na margem do rio, que nos conduzem ao mercado ou à universidade."


2. Locomoção

A grande maioria dos estudantes se locomove da forma mais econômica (e saudável!) possível: a pé. As acomodações estudantis ficam muito próximas dos prédios da universidade e do centro da cidade, então não há custos com transporte.


A cidade possui vários footpaths, caminhos que os levam à acomodação, universidade, centro da cidade etc. Foto: Germán Otálora Gallego


Como estou morando em Durham com meu marido, decidimos alugar uma casa em um bairro residencial, um pouco afastado do centro. Mesmo não residindo perto da universidade, chego na universidade de ônibus em menos de 15 minutos. Meus custos com esse meio de transporte são muito baixos: como estudante, pago apenas £5 por semana para usar todos os ônibus (de uma das empresas, a Arriva), a qualquer horário e quantas vezes precisar.


3. Descontos para estudantes

A universidade certamente tem um impacto na economia da cidade. Afinal de contas, a Durham University possui cerca de 19 mil estudantes matriculados, e é natural que lojas e restaurantes tenham interesse em atrair esse público. Isso faz com que estudantes tenham muitos benefícios em Durham.


A catedral e o castelo são visíveis de vários locais da cidade. Foto: Germán Otálora Gallego


Há descontos para estudantes em diversas lojas, farmácias, transporte (ônibus)… Além disso, vários restaurantes e cafés do centro da cidade também oferecem descontos para estudantes! Isso tudo faz com que o custo de vida aqui seja menor do que em outros locais.


3. Comunidade amigável

As pessoas da cidade são muito educadas e gentis, e tenho o sentimento de que realmente pertenço à comunidade. Seja no comércio, em eventos locais, na universidade, no ambiente de trabalho: todos me recebem de braços abertos, interessados pelos meus estudos e por conhecer um pouco mais sobre o Brasil.


O castelo de Durham. Foto: Germán Otálora Gallego


4. Oportunidades de estágio e emprego

Quem pensa que Durham, por ser uma cidade pequena, possui poucas opções para fazer estágio ou conseguir um emprego temporário, está enganado! Além das tantas oportunidades em Durham, o estudante pode procurar estágios ou vagas de emprego na cidade vizinha, que fica a 10-15 minutos de trem: Newcastle upon Tyne.


Foto: Germán Otálora Gallego


Logo que cheguei aqui, me apliquei para algumas oportunidades de estágio voluntário e felizmente fui selecionada para duas: uma delas em Durham, no governo do estado (Durham County Council) e a outra em Newcastle, na organização Freedom From Torture. Optei por fazer o estágio no governo local, pois queria conhecer um pouco mais o setor público britânico, e a experiência foi muito enriquecedora. Ou seja, há muitas oportunidades na cidade e região!


5. Atrações culturais

Atrações culturais não faltam, e os preços são muito acessíveis (muitos deles são gratuitos!). Já fui a uma ópera no Theatre Royal em Newcastle, a vários concertos e apresentações na Catedral de Durham, assisti uma peça de teatro no Gala Theatre e me emocionei ao escutar a um coral cantando músicas de natal em uma igreja pequena local.


A parte interna da majestosa Catedral de Durham. Foto: Germán Otálora Gallego


Durham possui uma intensa agenda de espetáculos. Um dos motivos é o curso de música da universidade, que é um dos melhores do país - está em primeiro lugar no Reino Unido, segundo o Guardian University League Table. Ou seja, os próprios alunos se apresentam com bastante frequência em diversos locais da cidade.


Gosto muito de morar em Durham e posso dizer que, aqui, eu realmente me sinto em casa. A excelente localização, a tranquilidade do dia a dia, as lindas paisagens e arquitetura, o custo de vida acessível: é impossível não gostar de Durham. Se você estiver no Reino Unido, não deixe de conhecer!


P.S.: o que achou das fotos lindas desse post? Créditos das imagens para meu amigo Germán, bolsista Chevening da Colômbia e aluno da Durham University.

Foto: Germán Otálora Gallego


Conheça outros textos da colunista:

Fui convocado para a entrevista do Chevening: e agora?

Chevening: 6 dicas de uma brasileira que conquistou a bolsa

Bolsa de estudos Chevening: por onde começar?

Entrevista Chevening: quais perguntas podem vir a ser feitas?

Taís Fernanda Blauth é advogada, gaúcha e apaixonada pela cultura britânica. Cursa o mestrado em Política e Relações Internacionais na Durham University, com a bolsa de estudos Chevening.




Entradas recientes
Arquivo
Siga-nos
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • YouTube Social  Icon
  • LinkedIn Social Icon